E você senhor, o que deseja?

Abro os olhos e me espanto, o que faria em um lugar daqueles? Pessoas vestidas de gala, sempre com a mais nobre postura. As mulheres com seus vestidos de ceda, suas jóias reluzentes e olhares marcantes. Os homens também não ficam despercebidos com seus finos ternos, esbanjando riquezas. Não fico de fora, nunca vesti tamanha nobreza em minha vida.

Mesmo assim tudo é estranho, as pessoas não conversam com ninguém e de certa forma se comportam de maneira estranha, como se estivessem sozinhas, como se ninguém as visse. Eu fiquei observando cada ação de cada pessoa. Uns se comportavam como bicho, de maneira grosseira e hostil. Aquilo me soava muito estranho.

De repente, luz e som ambiente para todos. Sinto um cheiro no ar, um cheiro familiar e atraente. Diversos garçons se espalham com diversos pratos, uns quentes e outros frios, mas todos com suave cheiro. Muitos nessa hora gritam, chamam com pressa para satisfazer a fome. Mas, uma coisa que observei é que nem todos os garçons estavam com a mesma roupa.

Curioso, pedi um prato de um garçom peculiar. Seu prato cheirava muito bem, peguei o primeiro pedaço e comi. Mastiguei, um doce e suave sabor em meu paladar, nunca tinha comido algo assim, de tamanha soberania, algo que se encaixou em meu estômago surpreendentemente. Me saciei, estava tudo bem quando outro garçom me ofereceu seu prato. Este era um tanto peculiar, mas naquele lugar pouco se importava a forma do prato. Mastiguei, engoli, seu gosto era suave também… Mas depois de pouco descer a minha garganta um forte gosto de fel se apoderou de minha boca, um nojo profundo me tomou, me fazendo jogar para fora aquilo.

Neste momento muitos correram para pegar as migalhas e restos daquele alimento nojento. Em meio ao desespero e sem ao menos entender o que acontecia naquele momento, perguntei ao garçon que alimento era aquele. Para minha surpresa a resposta foi: – Este prato se chama ” O segredo do bem e do mal mais conhecido como o pecado!

Nossas vidas são como um restaurante cheio, é um entra e sai que nem podemos imaginar. Já contou quantas pessoas passam por você durante o dia? E quantas pessoas você já conheceu? Bem, este não é foco deste texto… Mas, reflita em algo: O que você está comendo? Do que está se alimentando?

Todos os dias nos serão oferecidos duas bandejas: A santidade e o pecado. Cabe a nós escolher o que vamos comer… E você senhor, o que deseja?

Acácio Rodrigues

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s